Quem nunca ouviu falar em um título de capitalização, principalmente em um comercial de TV, não é mesmo? Ainda assim, você sabe o que esse produto financeiro significa? Se não, vamos explicar logo mais, além de mostrar se ele pode ou não ser considerado um investimento.

O fato é que muita gente adquire esse tipo de título com a expectativa de ganhar algum prêmio, seja em dinheiro, seja carro ou imóvel. Além disso, há a possibilidade de resgate do valor total ou parcial pago durante planos que podem durar anos.

Para quem não tem o costume de economizar, esse tipo de produto muitas vezes é vendido como uma forma de poupança forçada. Então, quem tem dificuldade para ter disciplina para juntar dinheiro, sente-se atraído pela oportunidade de receber uma quantia depois de certo tempo.

Conforme prometido, conheça em seguida as características de um título de capitalização e saiba se ele pode ser visto como um investimento!

O que é um título de capitalização?

Título de capitalização é um produto oferecido por sociedades de capitalização, empresas que são fiscalizadas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), uma autarquia federal.

Tais produtos são títulos de crédito, que são comercializados para as pessoas, geralmente, com a promessa de sorteio de prêmios. O termo “capitalização” remete à ideia de acúmulo de uma quantia, sobre a qual haverá a incidência de uma taxa de juros.

Via de regra, do total pago pelo comprador do título, uma parte é destinada para a capitalização, outra para o pagamento dos prêmios, além de uma parcela para remuneração da sociedade que comercializou o produto.

Hoje em dia, existem no mercado títulos em que os pagamentos são mensais ou que a quitação é feita de uma só vez, como naqueles destinados a servir como garantia de contrato de aluguel.

Nos títulos de pagamento mensal, as condições de resgate variam de acordo com o número de parcelas pagas. Em geral, existe uma tabela com porcentagens de recebimento conforme a quantidade de meses quitados.

Quem paga todas as parcelas do plano, no final do contrato, pode receber o valor total destinado ao título de capitalização ou parte dessa quantia.

Existem desvantagens nos títulos de capitalização?

Muita gente paga mensalmente um título de capitalização e acredita que está fazendo um investimento, como dito antes, uma poupança forçada. Entretanto, na verdade, esse tipo de produto não deveria ser encarado como uma aplicação financeira, como você poderá entender na sequência.

Na prática, tal título se parece mais com uma loteria do que com um ativo. Afinal, a possibilidade de a pessoa ter um rendimento satisfatório está diretamente ligada ao sorteio de um prêmio, o que é difícil de ocorrer, como você deve imaginar, e não da rentabilidade do produto.

Uma das desvantagens dos títulos de capitalização é a baixa taxa de retorno que, em muitos casos, é inferior à da caderneta de poupança. Além disso, quase sempre há um prazo de carência para resgate do valor aplicado.

Assim, quem quiser receber o que pagou terá que esperar um período previamente estipulado para, só então, ter o dinheiro de volta. A propósito, se não houve o pagamento de todas as parcelas do título, a pessoa geralmente só tem direito de receber parte do valor aplicado.

E qual o problema de tudo isso? Na verdade, quem mais ganha com o título de capitalização é a empresa que o comercializa, já que ela pode utilizar a quantia acumulada para investir em aplicações mais rentáveis no mercado financeiro.

Como as pessoas que adquirem esse tipo de produto nem sempre têm conhecimento acerca das diversas oportunidades de aplicação, elas acham que estão fazendo um bom negócio, devido ao sorteio de prêmios e ao recebimento da quantia paga no final do contrato.

Agora que você sabe que os títulos de capitalização não são tão vantajosos como parecem ser, deve estar se perguntando como aplicar o seu dinheiro de modo a receber uma rentabilidade mais atrativa, não é mesmo? Continue a nos acompanhar e saiba como.

Quais alternativas de investimento podem ser feitas?

Ao investir por conta própria, você tem a possibilidade de obter taxas de retorno bem superiores às oferecidas pelos títulos de capitalização. Por exemplo, quem faz investimentos de renda fixa, como o Certificado de Depósito Bancário (CDB), a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), tem a oportunidade de receber rendimentos maiores do que os oferecidos pela caderneta de poupança.

Se a pessoa opta por aplicar em um banco sem taxas, o dinheiro da capitalização vai todo para ela, logo, não há desconto para taxas de administração, com isso, a rentabilidade é maior.

Além disso, conforme o tipo de título de renda fixa escolhido, principalmente os atrelados ao IPCA, o rendimento do poupador supera a inflação do período da aplicação. Diferentemente, nos títulos de capitalização geralmente a pessoa só recebe todo o valor aplicado apenas no final do título e, em muitos casos, tal quantia é nominal, ou seja, não corrigida pela inflação.

Assim, se a pessoa pagou R$ 3.000 ao longo do prazo do título, ela receberá esse valor, vamos supor, após quatro anos. Entretanto, nesse meio tempo o poder de compra da moeda diminui devido à inflação do período.

O título de capitalização não pode ser comparado a um investimento, mas, sim, a um produto lotérico. Se você quer fazer o seu dinheiro render de verdade, torna-se mais vantajoso aplicar em ativos de renda fixa, os quais oferecem retorno superior ao daquele tipo de título.

A menos que você queira apenas “tentar a sorte”, o título de capitalização não é uma opção a ser considerada como alternativa eficiente de formação de poupança, já que a disciplina de economizar também pode ser desenvolvida por meio de investimentos do mercado financeiro, como os citados anteriormente.

Quer começar a investir com pouco e, assim, acumular riqueza para você e sua família. Leia, então, o post “Descubra a melhor opção para fazer o investimento de R$ 1.000” e veja como é fácil aplicar o seu dinheiro.