Educação financeira não é uma disciplina que se estuda na escola ou na faculdade, por isso, é comum ver tantas pessoas passando aperto para fechar as contas no final do mês.

Mesmo profissionais que ganham relativamente bem correm o risco de ter as finanças desequilibradas devido a alguns hábitos nada recomendáveis quando se quer tranquilidade em relação ao dinheiro.

Muita gente até sabe da importância de se saber ganhar, gastar, poupar e investir, mas desconhece algumas lições que servem justamente para se colocar em prática um plano de construção de patrimônio.

Se você também tem dúvidas a respeito de como gerar riqueza para você e sua família, o objetivo deste post é ajudá-lo a trilhar esse caminho com mais segurança e eficiência.

Confira, a seguir, 8 lições de educação financeira que podem melhorar significativamente a sua relação com o dinheiro.

1. Defina objetivos de longo, médio e curto prazo

Viver com intensidade o presente é algo de fato importante, afinal, esse tempo é uma certeza palpável, ainda assim, deixar para contar com a sorte no futuro é um risco considerável.

Com tantas instabilidades no mercado de trabalho, preparar-se com antecedência para o que está por vir é, sem dúvida, uma atitude prudente e necessária.

Dessa forma, uma lição relevante de educação financeira é estabelecer objetivos de longo, médio e curto prazo. Ao ter esses “nortes”, você se mantém motivado a buscar tais conquistas, bem como consegue elaborar estratégias específicas para cada tipo de meta. Por exemplo, é possível montar reservas financeiras para esses horizontes de tempo diferentes.

2. Saiba dizer não

O ser humano vive na própria vida e na família uma máxima existente na economia mundial: os recursos são escassos! Diante dessa realidade, cabe ao indivíduo estipular prioridades para gerenciar o dinheiro com eficiência e, assim, fazer mais com menos.

A execução dessa lição no dia a dia passa, muitas vezes, por saber dizer não a certos desejos, estímulos e impulsos. Uma vez que você tem objetivos definidos, precisa se esforçar para não sair do caminho previamente traçado, tudo em prol da conquista das suas metas.

Caso contrário, se você se rende com facilidade ao consumo de itens supérfluos, diminui as chances de cumprir os propósitos antes estabelecidos.

3. Viva com menos do que você ganha

Se existe uma regra de ouro para se ter sucesso nas finanças, ela se resume a gastar menos do que se ganha, para gerar um excedente, que pode ser mais tarde investido. Sem esse pressuposto, fica difícil executar qualquer estratégia eficaz de enriquecimento.

Muita gente, na ânsia de querer demonstrar certo status social, por meio da aquisição de imóvel e carro de luxo, se perde na gestão das finanças. Tal atitude pode ser comparada a querer matar a “galinha dos ovos de ouro”.

Pelo contrário, quando tem um estilo de vida aquém das próprias possibilidades, a pessoa não só cria uma margem de segurança para eventuais imprevistos como também intensifica a multiplicação de capital, por meio de investimentos regulares.

4. Preste sempre atenção ao seu patrimônio líquido

Para saber se você está no caminho certo, uma lição indispensável de educação financeira é acompanhar periodicamente o patrimônio líquido.

Mesmo que você não esteja tão acostumado com alguns termos da Contabilidade, é possível sim monitorar a situação das suas finanças e, desse modo, tomar decisões mais inteligentes.

Muitos indivíduos acreditam que patrimônio diz respeito apenas a “coisas boas”, entretanto, esse conceito abrange bens e direitos, que constituem o ativo, e também obrigações, que formam o passivo. O patrimônio líquido, por sua vez, é fruto do ativo menos o passivo.

Se você possui um apartamento financiado de R$ 500 mil, no fundo, você tem a posse de um bem, mas também uma obrigação. Nesse exemplo, se você deu R$ 100 mil de entrada, então, adquiriu uma dívida de R$ 400 mil. Nesse caso específico, o patrimônio líquido estaria negativo.

5. Descubra seu perfil de investidor

Além de saber ganhar e gastar bem, você precisa poupar e fazer render juros sobre o capital acumulado. Como o mercado financeiro oferece diversos tipos de produtos, com as mais variadas características, é importante que você conheça o seu próprio perfil de investidor.

Geralmente, os perfis são divididos em: conservador, caracterizado por prioridade à segurança nas aplicações e aos ativos de renda fixa; moderado, em que se busca conservar o patrimônio, mas sem deixar de lado o potencial de ganho da renda variável; e agressivo, marcado pela procura dos maiores retornos, mesmo que isso implique na exposição a grandes riscos.

Ao descobrir o seu próprio perfil de investidor, você passa a escolher aplicações financeiras que estejam de acordo com a sua personalidade e as suas necessidades.

6. Conheça diferentes tipos de investimentos

Como você já sabe, o mercado financeiro é bastante diversificado, então, numa mesma classe de investimentos, é possível encontrar muitas aplicações que se encaixem num só perfil de tolerância a risco.

Por exemplo, quem tem perfil conservador pode aplicar em Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Tesouro Direto, entre outras possibilidades.

Por isso, é importante que você conheça os diferentes tipos de investimentos, para escolher o que mais se adéqua aos seus objetivos.

7. Tenha uma fonte contínua de renda passiva

Uma lição primordial de educação financeira é construir uma fonte regular de renda passiva, ou seja, viver dos rendimentos das aplicações realizadas. Nesse sentido, o CDB é um produto que se encaixa bem nesse propósito, uma vez que o investidor pode aplicar em longo prazo e, assim, obter diminuição na alíquota do Imposto de Renda sobre o retorno da aplicação.

Tal qual em uma plantação, as sementes de renda passiva devem ser cuidadas ao longo tempo, para que possam dar frutos no período certo. Uma vez crescidas, essas fontes de recursos podem garantir o seu futuro e o da sua família com mais tranquilidade.

8. Não se esqueça de se dedicar à educação financeira

Educação financeira é um conjunto de conhecimentos sempre bem-vindo. Quem se dedica a essa área adquire valiosas habilidades que auxiliam bastante na construção de um patrimônio sólido.

Ao se educar financeiramente, você se torna apto a gerenciar os seus recursos de forma eficiente, seja qual for o cenário econômico. Por isso, não negligencie essa importante lição.

Quer se aprofundar ainda mais? Leia, então, o post “Como garantir o futuro financeiro da sua família?”.