Maus hábitos financeiros podem trazer diversos problemas para uma pessoa ou para toda a família. Quem tem ações repetidas que passam a prejudicar o orçamento também está sujeito a uma série de conflitos no lar, os quais, em alguns casos, podem até levar a um divórcio.

Além disso, atitudes realizadas sem uma reflexão prévia ou sem o conhecimento necessário podem minar a formação de poupança e, consequentemente, a criação de patrimônio. Dessa maneira, a pessoa não consegue elevar o próprio padrão de vida e, quase sempre, passa sufoco para pagar as contas todos os meses.

Quando a situação das finanças se agrava ainda mais, o desequilíbrio entre receitas e despesas faz com que o indivíduo corra atrás de empréstimos, o que pode gerar um efeito bola de neve.

Se você vivencia problemas com dinheiro, confira a seguir 5 dicas para evitar maus hábitos financeiros!

1. Reserve parte da renda para poupança

Você deve experimentar uma mudança radical positiva na sua vida financeira se começar a praticar um hábito bastante saudável. Quer saber qual? Em vez de primeiro dividir o seu salário para as várias contas do mês e, se sobrar algo, você economizar, faça justamente o contrário disso.

Ao reservar parte da sua renda para a formação de poupança e manter essa prioridade, você se acostuma a ter uma mentalidade de abundância e não de escassez. Assim, com o que sobrar, pode pagar os débitos mensais. Dessa maneira, já sabe de antemão quanto terá para honrar os compromissos financeiros, o que evita deixar a economia de lado.

É bem verdade que, se você já está numa situação de endividamento, fazer isso nem sempre é fácil. Nesse caso, quite todas as dívidas primeiro e, então, comece a praticar essa atitude saudável no trato das finanças.

2. Planeje a sua vida financeira

A falta de planejamento está entre os principais maus hábitos financeiros. Nesse caso, em vez de programar os gastos, a pessoa passa a assumir débitos sem controle. Com isso, as chances de o total das dívidas superar o valor do salário são grandes, o que causa o endividamento.

Uma maneira eficiente de prevenir esse problema é criar um orçamento mensal, de modo a listar todas as receitas e todas as despesas. Dessa forma, a pessoa decide, antecipadamente, como vai gastar o dinheiro. Isso torna mais fácil fazer ajustes, apenas “na teoria”, em vez de ter que se fazer malabarismos “na prática”.

Depois de distribuir a sua renda para cobrir todos os gastos do mês, inclusive a reserva mensal de poupança, é chegada a hora de executar o orçamento. Vamos saber mais em seguida.

3. Acompanhe as finanças ao longo do mês

Algumas pessoas até fazem a programação das despesas, mas não acompanham a realização efetiva dos gastos. Como consequência, o planejamento se torna um instrumento de pouco resultado para a melhoria da situação financeira.

Para evitar isso, acostume-se a anotar todos os recebimentos e todos os gastos. Hoje em dia, essa tarefa pode ser feita de forma ágil com o auxílio de aplicativos de controle das finanças.

Ao adquirir esse hábito, você passa a saber exatamente para onde vai todo o seu dinheiro e, com isso, acaba aquela sensação de ter gasto tudo sem saber para onde o salário foi. Além disso, com essas informações, você pode planejar o orçamento do mês seguinte com mais clareza, já que terá um histórico do valor médio gasto com cada tipo de despesa.

4. Evite pequenos gastos impulsivos no dia a dia

Um dos maus hábitos financeiros que passa despercebido para muita gente é o pequeno gasto por impulso, por exemplo, a compra de uma roupa que estava na “promoção” durante uma ida ao shopping para um almoço.

Note que, quando isso ocorre, a pessoa faz um débito que não estava previsto no orçamento. Logo, quando chegar a hora de pagar as contas, provavelmente faltará dinheiro para outro compromisso financeiro previamente agendado.

Se você sente dificuldade para abolir de uma só vez os pequenos gastos, uma alternativa é já deixar reservada uma quantia mensal para esse tipo de despesa. Entretanto, lembre-se de que você terá de monitorar o quanto sai dessa reserva, para não extrapolar o valor previsto.

5. Pense bem antes de usar o cartão de crédito

O uso desenfreado do cartão de crédito está entre os maus hábitos financeiros que mais trazem problemas para as famílias. Com essa possibilidade de gastar, sem ter o dinheiro em mãos, muita gente passa a assumir compromissos que vão muito além da própria capacidade de pagamento.

Pagar a fatura em trinta ou quarenta dias após as compras gera, muitas vezes, uma sensação de que se terá tempo para arrumar o dinheiro para o pagamento da dívida. Entretanto, nem sempre isso acontece, justamente pelo fato de a renda já estar comprometida com outros débitos.

Além disso, a possibilidade de parcelamento das compras pode ser a porta de entrada para o endividamento crônico. Quer saber como? Em muitos casos, a pessoa adquire um bem relativamente caro, em várias parcelas, com a ideia de que o valor mensal se encaixa no salário.

Contudo, o que o indivíduo deixa de analisar é a relação entre o valor total do bem e o tempo necessário para a quitação total da mercadoria. Por exemplo, quem comprou uma televisão de alta definição por R$ 5.000, em 20 vezes, terá que pagar R$ 250 mensalmente.

Como o valor da parcela é baixo, a pessoa se sente aliviada para fazer outras compras parceladas e passa a considerar somente a soma dos valores das prestações. Vamos supor que, além da TV, houve a aquisição de um notebook, em 24 parcelas de R$ 200.

Nesse exemplo, a dívida mensal seria de R$ 450. Então, se a pessoa tem uma renda líquida de R$ 3.000 por mês, a situação está relativamente tranquila, não é mesmo? Entretanto, note que o valor total das duas compras é de R$ 9.800, o que levaria pouco mais de três meses de salário para quitação, sem que o indivíduo tivesse outras dívidas.

Como você pode notar, maus hábitos financeiros são vilões para o orçamento de qualquer família. Por isso, comece a rever as suas atitudes hoje mesmo e passe a lidar com o dinheiro de maneira mais saudável.

Você gostou das dicas de como evitar maus hábitos financeiros? Que tal aprender mais e colocar as ações em prática o quanto antes? Leia, então, o post “Como economizar dinheiro? Veja 12 aplicativos incríveis”.