O final do ano está chegando e logo vem o pensamento: como usar o décimo terceiro salário? Muitas pessoas desejam fazer compras de Natal e Ano Novo. Outras querem guardar para o pagamento das contas do início do ano. Porém, vale a pena considerar a realização de um investimento.

Essa questão pode se refletir na conquista de um sonho, na possibilidade de entrar no azul (caso suas finanças estejam no vermelho) e no alcance de uma remuneração extra por meio de aplicações financeiras.

Em outras palavras, existem várias possibilidades para aproveitar bem esse dinheiro.

Como decidir o que é melhor? Neste artigo, vamos mostrar as 5 principais alternativas. Quer saber mais? Confira!

1. Quite suas dívidas

O primeiro passo de quem tem um valor a receber é verificar o seu saldo financeiro. Se tiver dívidas, vale a pena quitar todas elas, ou pelo menos a maior parte. Se necessário, faça uma renegociação para baixar a taxa de juros, especialmente se os débitos forem com bancos e cartões de crédito. Ofereça à instituição o valor que você já possui e veja se é possível sair do vermelho.

Essa recomendação é muito importante no cenário atual, em que há 63,4 milhões de inadimplentes no país. Além disso, os juros cobrados são muito elevados. A taxa média do cheque especial é de 11,82% ao mês e ao cartão de crédito chega a 11,74% ao mês.

Caso tenha algum financiamento, vale a pena analisar a taxa de juros e quanto conseguiria abater em número de parcelas ou valores por prestação.

No entanto, tenha cuidado! Faça os cálculos, porque um investimento é capaz de render mais por mês que o percentual descontado do pagamento de um imóvel ou carro.

Por isso, a regra é: opte por reduzir a dívida quando os juros forem maiores que a porcentagem obtida em uma aplicação financeira.

2. Faça uma viagem

Uma parte do décimo terceiro salário pode ser destinado para a realização de uma viagem. O ideal é fazer isso somente se você estiver com todas as dívidas quitadas. Assim, ainda reserva uma quantia para investir em alguma aplicação financeira.

Lembre-se de pesquisar bem, escolher o destino com antecedência (nada de decidir agora e comprar já para janeiro!) e considerar todos os gastos incluídos, como:

  • passagem/combustível;

  • alimentação;

  • hospedagem;

  • aluguel de automóvel;

  • pedágios;

  • passeios;

  • lembrancinhas para a família e os amigos;

  • compras de última hora.

Na hora de programar a viagem, tente escolher datas em baixa temporada, porque é mais barato. Verifique também qual a sua prioridade e busque alternativas para economizar em outros aspectos.

3. Reserve os valores para as contas de início de ano

Os gastos nos três primeiros meses do ano são significativos. Por isso, vale a pena se preparar. O mais comum é ter que pagar IPVA, IPTU, matrícula e material escolar, Imposto de Renda etc. Se você já fez as compras de fim de ano em várias parcelas, também precisa adicioná-las à lista.

O ideal é contabilizar quanto terá de pagar e deixar essa quantia separada. Mesmo que o montante não cubra o total, será uma ajuda importante. Lembre-se ainda de que o pagamento à vista dessas contas oferece descontos, especialmente no IPTU e no IPVA.

4. Forme sua reserva de emergência

Está com uma situação financeira tranquila, mas ainda não tem uma reserva de emergência? Aproveite o décimo terceiro salário e crie a sua! Tenha disponível entre 6 e 12 meses de salário para usar o dinheiro em caso de imprevisto, como desemprego ou problema de saúde.

A ideia é evitar a contratação de um empréstimo se surgir algum imprevisto. Porém, a dúvida é: onde colocar esse dinheiro? Descarte as opções de colocá-lo embaixo do colchão ou na poupança. Existem alternativas mais interessantes e que trazem um rendimento maior.

A principal é o Certificado de Depósito Bancário (CDB) com liquidez diária. Essa modalidade permite resgatar a quantia a qualquer momento.

Uma dica é optar por instituições financeiras de porte médio e com boas classificações de risco — como o Paraná Banco, que tem o rating A+ pela Standard & Poor’s e AA- pelo Fitch Ratings, além da categorização de baixo risco pelo RiskBank.

5. Invista seu décimo terceiro salário

O planejamento financeiro deve ir além da reserva de emergência. É preciso investir em várias modalidades para garantir uma boa remuneração. Entre as melhores opções estão as três que listamos a seguir.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras. O rendimento pode ser:

  • pós-fixado: varia conforme um indexador, como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que é utilizado como referência nas operações entre bancos;

  • prefixado: é definido no momento da contratação e já se sabe previamente quanto renderá;

  • híbrido: é a modalidade IPCA, que tem um percentual fixo mais a oscilação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que mede a inflação oficial do País.

No Paraná Banco você ainda conta com o CDB Flex 180, que tem uma taxa de 105% do CDI e liquidez diária após seis meses. Todas essas modalidades têm a segurança do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). O risco é baixo e as aplicações costumam ser realizadas a partir de R$500.

Letras Financeiras (LFs)

Essa é outra aplicação de renda fixa, com foco no longo prazo. O valor mínimo para aplicação é de R$150 mil, com prazo de pelo menos dois anos. O rendimento é pós-fixado e está atrelado ao CDI.

Há cobrança de Imposto de Renda, conforme a tabela regressiva. Por outro lado, a remuneração é uma das mais altas da renda fixa. A liquidez é somente no vencimento. Por isso, é um investimento complementar.

Fundos de investimento

Essas opções são compostas por diferentes aplicações, que podem ser da renda fixa, da variável ou de ambas. A vantagem é que os fundos são administrados por um gestor especializado no mercado financeiro.

Portanto, você pode deixar as aplicações sob responsabilidade desse profissional e não precisa acompanhar diariamente a performance dos ativos.

Para escolher um bom fundo de investimento, é importante analisar a estratégia, verificar seu perfil (conservador, moderado ou arrojado) e a rentabilidade histórica. Essas informações são um bom indicativo de que o resultado estará de acordo com o esperado.

Como você pode perceber, existem diferentes maneiras de aproveitar o décimo terceiro salário. De toda forma, a regra é investir. Se tiver algum empecilho como dívidas, ultrapasse-o e, então, comece a poupar para aplicar seu dinheiro.

Lembre-se de pesquisar a instituição financeira e obter o melhor custo-benefício. Isto é: as menores taxas com as maiores remunerações, como o Paraná Banco oferece.

Que tal começar a melhorar suas finanças agora? Assine nossa newsletter e receba outras dicas relevantes para empregar o valor que receberá!